Produtores de leite de Umuarama-PR recebem equipamentos para melhoramento genético de rebanho Produtores de leite de Umuarama-PR recebem equipamentos para melhoramento genético de rebanho

10-08-2020 09:57:30 - Por: Prefeitura Municipal Umuarama

Os primeiros produtores receberam três botijões de nitrogênio, utilizados para armazenamento de sêmen para inseminação artificial do rebanho.

Produtores de leite de Umuarama-PR recebem equipamentos para melhoramento genético de rebanho
Por meio do programa Insemina Fácil, um dos braços do Pró-Leite – um incentivo para o aumento da produtividade, capacitação profissional dos produtores de leite e melhoria da renda –, a Prefeitura de Umuarama adquiriu oito botijões de nitrogênio para armazenamento de sêmen, utilizado na inseminação artificial do rebanho. Com o equipamento, criadores que foram treinados para realizar a inseminação poderão conservar o material em suas propriedades, para realizar o procedimento no momento mais adequado.

Os botijões são de uso comunitário, podendo cada um atender cinco produtores ou mais, por isso serão distribuídos em propriedades estrategicamente localizadas. Os três primeiros foram entregues a um grupo de produtores reunidos no pátio da Prefeitura. 

“Estamos dando os próximos passos do Insemina Fácil. Começamos com o treinamento dos produtores interessados em aprender a técnica da inseminação, para não depender mais de terceiros, e agora estamos entregando os botijões de nitrogênio, luvas e materiais necessários. O programa também prevê a distribuição de sêmen importado de alto padrão genético, das raças jersey, holandesa, pardo suíço e nelore”, explicou Vinícius Chimenez. 

O investimento na aquisição dos botijões foi de R$ 30 mil em recursos próprios. Poderão ser atendidos até 40 produtores. Os três primeiros ficarão nas propriedades dos agricultores Rodrigo Balan, Edson Scapin e Claudinei Borges, beneficiando vários produtores residentes nas imediações. 

A pandemia de coronavírus prejudicou a programação de cursos da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente e algumas turmas foram adiadas. Agora, com a situação mais controlada, o próximo curso de inseminação – com ensinamento teórico e prática – foi agendado para 27 e 28 deste mês, com até 15 participantes. 

“Tomaremos todo o cuidado necessário para prevenir o contágio do vírus. Queremos formar inseminadores independentes, que dominem a técnica, e forneceremos todo material e equipamento necessário para a inseminação, além de sêmen de qualidade. Os botijões também poderão armazenar material genético adquirido pelos produtores, caso queiram outras raças ou sêmen de outra procedência. O importante é aproveitar o programa e a oportunidade de melhorar a genética do rebanho e aumentar a produção”, finalizou o diretor.