Desaceleração da economia do México não é boa para as exportações de lácteos dos EUA Desaceleração da economia do México não é boa para as exportações de lácteos dos EUA

16-09-2019 10:51:55 - Por: Farm Journal & MILK Magazine, traduzidas pela Equipe MilkPoint

O México é o maior mercado externo para a maioria das categorias individuais de exportações de lácteos nos EUA.

Desaceleração da economia do México não é boa para as exportações de lácteos dos EUA
No primeiro semestre deste ano, o maior mercado externo de lácteos dos Estados Unidos, o México, viu a sua economia passar por dificuldades. No início de setembro, o banco central do país disse que eles estão enfrentando ventos contrários. No primeiro trimestre deste ano, o produto interno bruto (PIB) do México, a segunda maior economia da América Latina, recuou 0,2% em comparação ao mesmo trimestre de 2018, mas o PIB do segundo trimestre cresceu um pouco, 0,1% acima do segundo trimestre de 2018.

"A contração do primeiro trimestre marca o primeiro declínio anual em mais de uma década, e um abrandamento econômico no México é um mau presságio para as exportações de laticínios dos EUA", disse Sarina Sharp, analista do Daily Dairy Report. No ano passado, ela observou que o México comprou quase o dobro do volume de produtos lácteos que a China. Vale lembrar que o país asiático é o segundo maior comprador externo de lácteos dos Estados Unidos.

“O México não apenas detém o melhor lugar geral em termos de compras de produtos lácteos, mas também, é o maior mercado externo para a maioria das categorias individuais de exportações de lácteos nos EUA, incluindo queijo e requeijão, leite condensado e evaporado, leite em pó, leite fluido, creme, iogurte, manteiga, gordura de leite e sorvete”, completou Sarina.

De acordo com dados do Global Trade Atlas, no primeiro semestre deste ano, o México importou 57,2% menos queijo do que no primeiro semestre do ano passado e 17,3% menos leite em pó desnatado e leite em pó integral combinados. No entanto, Sarina acrescenta que os dados comerciais dos EUA sugerem que o déficit de leite em pó pode ser menor, com as exportações anuais de leite em pó desnatado dos EUA para o México apenas 3,6% abaixo do ano anterior.

As crises econômicas tendem a atingir as famílias de baixa renda com mais força, juntamente com seu poder de compra. Segundo o Banco Mundial, quase 43,6% dos mexicanos viviam na pobreza em 2016, abaixo dos 46,1% em 2010. No entanto, em números totais e proporcionais, o número de pessoas vivendo na pobreza no México aumentou 1,52 milhão de pessoas, de 54,07 milhões em 2010 para 55,59 milhões em 2016.

"Além da menor demanda do consumidor no México, grande parte da queda nas importações de leite em pó desnatado e integral do México ocorreu devido ao colapso dos embarques para a Venezuela", afirma Sharp. "O declínio nas exportações de leite em pó do México para a Venezuela foi acentuado. Mesmo que a economia mexicana sacudisse sua atual situação, as exportações de leite em pó dos EUA e do México para a Venezuela provavelmente permaneceriam deprimidas até que os laços diplomáticos melhorassem", completou ela. 

Outras grandes economias que flertaram com a recessão no primeiro semestre de 2019 incluem Alemanha, Reino Unido, Itália, Brasil, Argentina, Cingapura, Rússia e Coreia do Sul, outro mercado importante para produtos lácteos nos EUA.